RACIONALIDADE, VONTADE, PROPENSÃO NATURAL DO NATIVO AMERICANO PARA O BEM EM BARTOLOMEU DE LAS CASAS: O MÉTODO E O MESTRE FORMADOR

##plugins.themes.academic_pro.article.main##

Dr. José Joaquím Pereira Melo
Drda. Christina Aparecida dos Santos

Resumen

O descobrimento da América pelos espanhóis nos anos finais do século XV é marcado pelo confronto entre povos distintos e por incertezas que suscitaram polêmicas consideráveis, sobretudo, a respeito da racionalidade dos homens então encontrados e do modo como deveriam ser tratados e cristianizados. Bartolomeu de Las Casas (1474-1566) destaca-se como um defensor dessa racionalidade. Ele traçou um método educativo que, segundo ele, seria o mais adequado para cristianizá-los e submetê-los à ordem que se estabelecia. Seu método requisitava que o mestre, entre outros atributos, tivesse o entendimento do processo de aquisição dos conhecimentos pelos seres racionais e reconhecesse que a vontade deveria ser incentivada para que eles fizessem uso da inteligência. Em vez da violência e da coerção, o mestre deveria se valer da doçura, da amabilidade, da brandura e da mansidão, mantendo uma vida reta e dispondo de uma boa oratória. Conforme o conceito de vontade e de propensão natural desses homens para o bem, atraindo-os de modo adequado, os mestres criariam as condições necessárias para eles assimilassem a fé e a religião cristã e, por extensão, se submetessem aos colonizadores. Considerando tais referenciais, definiu-se como objetivo desta discussão apresentar e discutir o método de ensino e aprendizagem sugerido por Las Casas.

##plugins.themes.academic_pro.article.details##

Cómo citar
Pereira Melo, José Joaquím, y Christina Aparecida dos Santos. 2020. «RACIONALIDADE, VONTADE, PROPENSÃO NATURAL DO NATIVO AMERICANO PARA O BEM EM BARTOLOMEU DE LAS CASAS: O MÉTODO E O MESTRE FORMADOR». Revista Inclusiones 7 (2):01-13. https://revistainclusiones.org/index.php/inclu/article/view/256.